-->

-->

-->


-->



-->
Brasil - Acusado de assassinar casal na frente dos filhos é morto pela PM


Um dos acusados de assassinar a tiros o casal Jéssica Quintino de 26 anos e Jonathan Henrique, 22 anos, na madrugada de quarta-feira (20), em Sorriso (a 420 quilômetros de Cuiabá), foi morto durante confronto com a Polícia Militar, após denúncia de onde ele e um comparsa, envolvido no crime, estavam escondidos.


O casal foi morto na frente dos quatro filhos após ter a casa invadida pelos assassinos.

Os policiais receberam informações de que os assassinos estariam em uma casa no bairro Vila Bela. Ao chegarem no local, os militares identificaram S.R.B. (16), que estava com uma arma na cintura, com 13 munições. Logo depois viram o outro suspeito, M.T. (18), que manuseava uma arma de fogo.

Os policiais ordenaram que ele parasse, mas a ordem não foi obedecida. O bandido começou a fugir, pulando os muros de várias casas. Os policiais montaram um cerco e mandaram que M.T. se deitasse no chão, mas novamente ele não obedeceu a ordem a ainda apontou a arma contra os policiais. Neste momento, um dos policiais revidou e atirou contra ele.

O bandido foi encaminhado para uma unidade de pronto atendimento, onde morreu.

O menor de idade, as munições e o revólver calibre 38, com numeração raspada, foram encaminhados à delegacia da cidade para as devidas providências.

ENTENDA O CASO 

Um casal de 22 e 26 anos foi assassinado a tiros na madrugada desta quarta-feira (20), dentro de sua própria casa, no Bairro São Matheus, em Sorriso (400 km de Cuiabá - MT). As filhas da mulher, de oito, três anos e duas gêmeas de nove meses, estavam no quarto onde o crime aconteceu e assistiram a tudo.

A Polícia Militar foi acionada por volta das 02 horas por vizinhos que ouviram os disparos no Beco São Barnabé, onde a família morava. Uma equipe foi até o local e encontrou o casal ferido dentro de casa.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar os primeiros-socorros, porém, as duas vítimas já estavam sem vida. O local foi isolado e a Polícia Judiciária Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas.

Conforme o boletim de ocorrências registrado pela Polícia Civil, ao menos um suspeito (não há informações se outra pessoa participou do crime) abriu o trinco do portão, que não tinha cadeado, derrubou a porta de madeira e entrou na casa.

 

A filha mais velha da mulher, de oito anos, relatou aos policiais que o suspeito era um homem de pele clara, que entrou e gritou que era para o padrasto dela levantar a mão e em seguida atirou três vezes, acertando o pescoço do jovem de 22 anos e o peito, tanto do lado esquerdo, quanto do lado direito. A mãe das crianças, de 26 anos, foi morta em seguida com um tiro na cabeça.

As quatro crianças, segundo a irmã mais velha, estavam todas no quarto com a mãe e o padrasto e assistiram ao assassinato. As duas gêmeas ainda eram amamentadas pela mãe.

Os policiais mostraram várias fotos de possíveis suspeitos para a menina mais velha e ela reconheceu um deles como o homem que entrou no quarto e matou sua mãe e seu padrasto.

O pai de uma das vítimas, o jovem de 22 anos, relatou à Polícia Civil que há poucos dias seu filho brigou no serviço com outro homem. A PJC investigará se isso pode ter relação com o crime.

O caso foi registrado como homicídio doloso. Até o momento, ninguém foi preso.



Fonte o livre


Outros Destaques
-->

-->
Mais Notícias
-->


-->